Anuncie

Fale Conosco

Home

Quem Somos

Sala de Bate Papo

Veja em "Cultura" um dos bairros mais antigos da cidade de São Paulo.
História do Brasil, São Paulo e do Bairro (recomendadas para pesquisa escolar).

Voltar
História de São Paulo I
Cortesia da "Revista ViverCidades"
 

O Povo do Bairro do Ipiranga e todos os usuários visitantes do Site, ganha esta linda hístória em que todos podem desfrutar e conhecer fatos preciosos sobre a hístória de São Paulo.
Éssa é uma cortesia da "Revista ViverCidades"
e o seu endereço na Internet é www.vivercidade.org.br.

Em Nome do Povo do Bairro do Ipiranga e visitantes ao Site, a nossa equipe do Site Bairro do Ipiranga agradece:
Os nossos profundos agradecimentos à toda equipe do "ViverCidade" pela cortesia e pelo lindo trabalho que tem sido realizado à Cidade de São Paulo.
__________________________________________________________________________________
SÃO PAULO 450 ANOS (I): A IMPRECISA FUNDAÇÃO
Autor:
Data: 16/01/2004

A partir desta edição, a Revista ViverCidades inicia uma série de matérias comemorativas dos 450 anos de fundação da cidade de São Paulo, com ênfase no Urbanismo e na Arquitetura bandeirantes.
É nossa homenagem a todos aqueles homens e mulheres que contribuíram com seu trabalho para a construção dessa, que
é hoje a maior metrópole da América do Sul.
__________________________________________________________________________________

O texto a seguir, adaptado e editado pela Revista ViverCidades, foi publicado originalmente pelo Caderno Especial São Paulo 450 Anos, do jornal Folha de São Paulo, edição de 20 de setembro de 2003, com o título Fundação de São Paulo está envolta em
dados imprecisos.
__________________________________________________________________________________

O início de São Paulo, como o de inúmeras outras cidades, colonizadas há mais de quatro séculos, está envolto em dados imprecisos. Ignorando os índios que já habitavam a região, convencionou-se que sua fundação aconteceu em 25 de janeiro de 1554.

Fundação da Cidade de São Paulo, óleo de Antonio Parreiras, 1913.
Imagem: sampa3.prodam.sp.gov.br

A data seria a da construção de um colégio jesuíta, ao redor do qual formou-se o povoado de São Paulo de Piratininga. O responsável pela obra teria sido o padre José de Anchieta, porém a ordem de assentamento teria partido do padre Manoel da Nóbrega.

 

Este, por sua vez, era subordinado a Martim Afonso de Sousa, militar enviado por D. João III, então rei de Portugal, para governar a região e expulsar os franceses da costa brasileira.

Alguns historiadores defendem a tese de que Afonso de Sousa, 'dono' das terras, foi o primeiro europeu a estabelecer um acampamento no local, antes da construção do Colégio, durante uma de suas expedições para capturar e catequizar os índios.

Padres José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, entremeados por Martim Afonso de Souza, os artífices de São Paulo.
Imagem: Alberto Taveira, intervenção sobre imagens de www.tvcultura.com.br & www.probrasil.com.br

Outros, no entanto, contestam a data. Para o jornalista, escritor e historiador Eduardo Bueno, por exemplo, o marco-zero foi o dia 29 de agosto de 1553, quando Nóbrega conseguiu autorização dos caciques Tibiriçá e Caiubi para erguer o Colégio.
Neste caso, a cidade já teria, desde o ano passado, completado seus 450 anos.

O local exato da fundação fica, atualmente, no bairro do Bom Retiro, entre os rios Anhangabaú, hoje canalizado, e Tamanduateí, também em boa parte subterrâneo.

Imagem: Alberto Taveira, intervençãocsobre imagem de Livro da Cidade de São Paulo, Prefeitura de São Paulo, 1992.

Em 1560, o povoado original foi reconhecido como vila. Cerca de 120 anos depois, São Paulo se tornou a principal povoação da capitania, elevada a cidade em 1711.

Na segunda metade do século XVIII, o Colégio foi confiscado dos jesuítas e transformado em sede do governo da Capitania. São Paulo foi oficializada como capital da província – mais tarde, estado – com a proclamação da Independência, em 1822.

A cidade só se tornou um importante centro cultural e o principal pólo econômico do país e da América do Sul a partir do começo do século XX, principalmente com a Semana de Arte Moderna e o processo de industrialização. Atualmente, São Paulo conta com 10.434.252 habitantes, segundo o Censo 2000 do IBGE.

Bairro do Brás, São Paulo, início do séc. XX. Imagem: www.arquivo.ael.ifch.unicamp.br

Veja agora o que nos conta o historiador Eduardo Bueno – coordenador de um projeto para comemoração dos 450 anos da cidade –, sobre as origens de São Paulo:

O que há de curioso sobre a fundação de São Paulo ?

Acho que é justamente o aniversário da cidade. Ele é comemorado no dia 25 de janeiro, data em que o padre Manoel da Nóbrega fundou, em 1554, o Colégio jesuíta, no local onde atualmente funciona o Museu Anchieta.
Foi em torno deste Colégio que a cidade começou a surgir.
Mas o nascimento da cidade aconteceu, realmente, em 29 de agosto de 1553, quando o padre Manoel da Nóbrega conseguiu autorização dos caciques Tibiriçá e Caiubi para erguer um colégio jesuíta e iniciar a lavagem cerebral de catequização dos índios. Este foi o verdadeiro nascimento.

Que lugares urbanos são historicamente importantes ?

A nascente do rio Anhangabaú, que era sagrado para os índios e hoje está canalizado embaixo da Avenida Vinte e Três de
Maio; e a Consolação, que ocupa um papel fundamental na nossa história. Dali saíam cinco trilhas, muito usadas pelos índios, sendo que uma delas seguia direto para o Peru.

Qual era esse caminho ?

Eles subiam a Consolação, atravessavam a Avenida Paulista, que à época era um morro de granito, coberto por densa floresta, e começavam a descer o que, hoje, é a Avenida Rebouças. Passavam por um lugar cheio de perdizes – daí o nome do bairro atual –,
depois por uma floresta de araucárias, cruzavam o rio Pinheiros e iam direto até Cuzco, no Peru, em busca de prata.

* * *

SÃO PAULO ANO A ANO

O texto a seguir, adaptado e editado pela Revista ViverCidades, foi publicado originalmente pelo Caderno Especial São Paulo 450 Anos, do jornal Folha de São Paulo, edição de 20 de setembro de 2003, com o título Cronologia.

SÉCULO XVI

1554: Fundação do Colégio dos Jesuítas.

Igreja do Colégio dos Jesuítas, no séc. XVIII, aquarela de J. Washt Rodrigues.
Imagem: www.prodam.sp.gov.br

1560: O povoado é elevado à categoria de vila.

1562: Ataque dos índios guaianazes quase destrói São Paulo de Piratininga, sendo a defesa da vila liderada por João Ramalho e o cacique Tibiriçá.

1583: Primeiro crime rumoroso da cidade: um certo frei Diogo é assassinado por um soldado espanhol, nas proximidades da Ermida da Senhora da Luz.

1594: Concluída a construção da Igreja do Carmo, embrião do futuro Convento.

1600: Fundação do Mosteiro de São Bento.

Mosteiro de São Bento.
Imagem: www.aimintl.org

SÉCULO XVII

1641: Disputa de poder entre as famílias Pires e Camargo. Fernão de Camargo
assassina Pedro Taques, líder dos Pires, por causa do aprisionamento de índios
e controle da produção agrícola.

1681: São Paulo é considerada a povoação-cabeça da capitania.

SÉCULO XVIII

1711: A vila de São Paulo é elevada à categoria de cidade.

1715: A Santa Casa de Misericórdia inicia o atendimento médico à população pobre.

1745: Criado o bispado de São Paulo, com 4 dignidades, 10 cônegos, 12 capelães e 4 moços de coro. O primeiro bispo foi D. Bernardo Rodrigues Nogueira.

1765: O Colégio de São Paulo é confiscado dos jesuítas e transformado em sede do governo da cidade.

1784: Iniciado o calçamento das ruas da cidade, no governo do Capitão-general Francisco da Cunha Meneses. Inaugurada a primeira Casa da Pólvora (paiol militar).

1798: Criadas as duas primeiras linhas do correio público, sendo uma para Santos, e outra para o Rio de Janeiro.

1800: Construção da Igreja da Consolação.

Igreja da Consolação, no séc. XIX, aquarela de J. Washt Rodrigues.
Imagem: www.prodam.sp.gov.br

SÉCULO XIX (1801-1850)

1805: Fundado o Hospital dos Lázaros (leprosos).

1809: O Ouvidor Geral determina a instalação de placas com o nome das ruas e a numeração das casas.

1822: Com a Independência do Brasil, São Paulo se torna a capital da província.

1823: São Paulo recebe o título de Imperial Cidade. Surge seu primeiro jornal, O Paulista, ainda manuscrito.

1825: Aberto ao público o Jardim da Luz – o mais antigo da cidade –, ocupando uma área de 113.400 m². Instalada, na Santa Casa de Misericórdia, a Roda dos Expostos, para onde são encaminhadas as crianças enjeitadas pelos familiares.

1827: Fundação da Academia de Direito, no Largo São Francisco. Surge o primeiro jornal impresso da cidade, O Farol Paulistano.

Faculdade de Direito e Igreja de São Francisco, séc. XVIII, aquarela de J. Washt Rodrigues.
Imagem: www.prodam.sp.gov.br

1829: Lançado o Observador Constitucional, jornal editado pelo médico Líbero Badaró, primeiro jornalista assassinado por motivos políticos – seu credo liberal – em 1830. Toma posse a primeira Câmara Municipal da Capital de São Paulo.

1830: A Câmara estabelece penalidades para moradores cujas casas tenham canos que deságüem "imundices" nas ruas.

1831: Fundada, por Júlio Frank, a Bucha, sociedade secreta de estudantes da Academia de Direito do Largo São Francisco. Frank foi enterrado no próprio local, já que os cemitérios existentes não aceitavam não-cristãos.
Criado o Corpo Permanente, para o policiamento da cidade.

1835: Criados os cargos de Prefeito e Vice Prefeito, nomeados pelo Presidente da Província.

1838: São Paulo em 1838: ensaio de um quadro estatístico, de Daniel Pedro Muller, impresso pela tipografia de Costa Silveira, é um dos primeiros livros editados na cidade.

1842: Começa a funcionar o serviço de iluminação, com lampiões a gás.

1846: Criada a primeira Escola Normal da cidade.

1850: A catedral de São Paulo transfere-se da antiga Igreja do Colégio para a Igreja da Sé.

Antiga Igreja da Sé, início do séc. XX.
Imagem: www.uol.com.br

SÉCULO XIX (1851-1875)

1852: Inaugurado o Recolhimento de Presos (Casa de Detenção), na avenida Tiradentes.
Criado o primeiro Hospício de Alienados da cidade (manicômio).
Aberto o Matadouro Público, na rua Humaitá.

1853: Começa a circular o primeiro jornal diário de São Paulo, O Constitucional.

1854: Primeiros hotéis: Paulistano (R. São Bento), do Comércio (R. Floriano Peixoto), da Providência (R. do Comércio) e Universal (no Pátio do Colégio).

1855: O poder público municipal proíbe que as casas tenham rótulas nas portas, as meias-portas e as janelas que abram para fora.
A cidade já conta com carroças para a limpeza urbana.

Rua XV de Novembro, Centro de São Paulo, séc. XIX, aquarela de J. Washt Rodrigues.
Imagem: www.prodam.sp.gov.br

1857: Proibido aos sapateiros, alfaiates e outros artesãos trabalhar nos passeios, colocando ali bancos e outros objetos que "possam ofender o trânsito".
Os festejos carnavalescos modernos – bailes de máscaras e desfile de carros carnavalescos – substituem o entrudo primitivo.

1858: Inaugurado o Cemitério da Consolação, primeiro da cidade.
Criada a Guarda Urbana.

1859: Fundação da Beneficência Portuguesa.

1860: Já existem quatro confeitarias: as de Jacó Loskiell e Pereira Jr. (R. do Comércio), a de Gaspar Leonard (R. Direita) e a de Rodovalho & Irmãos (antiga Rua do Imperador).
Cafés, cervejarias e restaurantes melhores surgirão, apenas, a partir de 1867, ano em que entram em pleno funcionamento as linhas de trem da São Paulo Railway.
Criado o primeiro bloco carnavalesco: Os Zuavos.

Rua do Comércio, atual Álvares Penteado, Centro de São Paulo, no séc. XIX, aquarela de J. Washt Rodrigues.
Imagem: www.prodam.sp.gov.br

1864: Inaugurado o Teatro São José, com capacidade para mais de mil pessoas, com a apresentação de Túnica de Nessus, do estudante de Direito, Sizenando Nabuco.

1865: Começa a circular o Diário de São Paulo. A cidade conta com apenas seis farmácias.
1886: Primeira consolidação das Posturas Municipais: Códigos de Obras, Saneamento e Higiene das habitações.
Fundado o Ginásio Mackenzie. Criada a Guarda Municipal da Província.

1867: Inaugurada a estrada de ferro Santos-Jundiaí (São Paulo Railway).

1868: Construído o primeiro mercado, no cruzamento das ruas Vinte e Cinco de Março e General Carneiro, à beira do rio Tamanduateí.

1872: Inaugurada a iluminação pública a gás. Entra em funcionamento a primeira linha de bondes com tração animal.

1873: Instalada a Sociedade Propagadora da Instrução Popular que, após nove anos, passa a se chamar Liceu de Artes e Ofícios.

1875: Fundado o jornal A Província de São Paulo que, com o advento da República, passa a se chamar O Estado de S. Paulo.

SÉCULO XIX (1876-1900)

1876: Inauguração do Hipódromo Paulistano.

1877: Fundação da Cia. Cantareira de Águas e Esgotos. Inaugurada a estrada de ferro São Paulo-Rio de Janeiro (Central do Brasil).
Primeiros engraxates, meninos italianos com idades entre 10 e 14 anos, que trabalham nas ruas do Centro e nas estações de trem.

1879: Os alemães Glete e Nothman compram uma chácara, começam a abrir ruas e demarcar lotes, na região que daria origem ao bairro dos Campos Elíseos.

1880: A Lei nº 6 cria uma Seção de Bombeiros, anexa à Companhia dos Urbanos.

1882: Fundado o Centro Abolicionista de São Paulo.

1883: Entregue ao público o 1º Distrito de Esgotos, no bairro da Luz, servindo a
71 prédios.

1884: A Santa Casa de Misericórdia passa a funcionar no atual endereço, à R. Cesário Mota Júnior.

1886: Apresenta-se no Teatro São José a companhia francesa da qual fazia parte a atriz Sarah Bernhardt, encenando Fedora, de Victorian Sardou.

1887: Inaugurado o novo prédio do Matadouro Municipal, na Vila Mariana.
Começa a funcionar a Hospedaria dos Imigrantes, no bairro da Luz.
Quase três milhões de pessoas passariam por suas dependências nos 91 anos de existência; foi desativada, em 1978, e transformada no Museu da Imigração.

1890: Criado o Conselho de Intendentes, escolhidos pela Câmara Municipal, coordenando três comissões: Contas, Orçamento e Justiça; Obras e Datas; e Saúde Pública, Matadouro e Cemitério. A escola anexa à Escola Normal se transforma em escola-modelo, mais tarde Escola Modelo Caetano de Campos.
Inaugurado o Mercado de São João, na rua do Tesouro. Fundada a Bolsa de Valores de São Paulo.

1891: Inaugurada a iluminação elétrica. Inaugurada a Avenida Paulista, projeto do engenheiro uruguaio Joaquim Eugenio de Lima que, com dois sócios, adquiriu parte da Chácara do Capão, incluindo a área do morro do Caaguaçú.
Essa área foi toda loteada, sendo aberta uma avenida, no alto do espigão, com o nome de Paulista.
Já apedregulhada em 1894, foi beneficiada em 1903 com a colocação de macadame em seu leito; será a primeira via pública asfaltada e arborizada de São Paulo.

Avenida Paulista.
Imagem: São Paulo 1900, CBPO / Livraria Kosmos Editora, São Paulo, 1988.

1892: Inaugurado o Parque Villon, atual Parque Tenente Siqueira Campos, projetado pelo francês Paul Villon. - Inauguração do Viaduto do Chá.

1894: Abertura da Escola Politécnica. Criado o Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo.


Escola Politécnica.
Imagem: São Paulo 1900, CBPO / Livraria Kosmos Editora, São Paulo, 1988.


1895: Criada a primeira associação de médicos, a Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, que oferecia atendimento gratuito na Praça da Sé. Abertura do Museu Paulista (Museu do Ipiranga).

Museu do Ipiranga.
Imagem: www.rainhadapaz.g12.br

1896: Primeira exibição cinematográfica em São Paulo, para o Presidente Campos Sales.
Primeira partida de futebol, entre os membros do São Paulo Athletic Club e os empregados da São Paulo Railway Company (alguns apontam o ano do jogo como 1895).

1898: Passam a ser eleitos os Prefeitos da capital. O primeiro foi o ConselheiroAntonio da Silva Prado.

1899: Inaugurada a Escola de Farmácia e Odontologia. Fundada a São Paulo Light and Power Company.

1900: Inaugurada a primeira linha de bondes elétricos.

SÉCULO XX (1901-1925)

1901: Construída a primeira agência do Banco do Brasil na cidade, à R. Álvares Penteado, esquina com R. da Quitanda.
Criado, por Emílio Ribas, o Instituto Butantan, tendo como primeiro Diretor, Vital Brasil.
Construção da Estação da Luz.
Criada a Liga Paulista de Futebol, com os seguintes clubes fundadores: São Paulo Athletic, Paulistano, Germânia (atual Pinheiros), Mackenzie e SC Internacional.


Estação da Luz.
Imagem: São Paulo 1900, CBPO / Livraria Kosmos Editora, São Paulo, 1988.

1902: Inaugurado o Parque Antarctica. O local, onde funcionava a Companhia Antarctica Paulista, é aberto ao público, destinando-se ao lazer.

1903: A diretoria do Instituto Pasteur adquire um prédio na Av. Paulista. Instalação do Gymnasio Anglo-Brazilian School, no local do atual Colégio São Luís.
Fundação do Centro Acadêmico Onze de Agosto, pelos alunos da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco.

1904: Começa a construção do primeiro edifício da Maternidade São Paulo.

1905: Inaugurada a Pinacoteca do Estado, no bairro da Luz.

1906: Construído o Sanatório Santa Catarina, na avenida Paulista.

1907: Inaugurado o primeiro cinema de São Paulo, o Bijou-Theatre, na R. São João. Até então, os filmes eram exibidos de forma itinerante, principalmente em teatros.

1909: Criado, pelo Papa Pio X, o Arcebispado Metropolitano, com D. Duarte Leopoldo sendo o primeiro Arcebispo.
Fundada a Academia Paulista de Letras.

1910: Fundado o Esporte Clube Corinthians.

1911: O Teatro Municipal é inaugurado, com a apresentação da ópera Hamlet, de Ambrósio Thomas.

Teatro Municipal, arquitetos Domiziano Rossi e Cláudio Rossi.
Imagem: www.asemanade22.hpg.ig.com.br



Voltar

Parte II